Posso ser sócio da Sociedade Portuguesa de Cardiologia?

O que dizem os estatutos?  

Ser sócio da Sociedade Portuguesa de Cardiologia é fazer parte duma comunidade científica composta por cardiologistas, cirurgiões cardíacos, cardiologistas pediátricos, internos destas especialidades, médicos de outras especialidades, enfermeiros, técnicos cardiopneumologistas e outros profissionais de saúde, que têm em comum o interesse pelo estudo e investigação dos mais variados aspectos da Cardiologia.



Tipos de sócios

  • Efectivos:
    Ser médico;
    Ter o título de especialista em Cardiologia, em Cirurgia Cardiotorácica ou em Cardiologia Pediátrica, ou desenvolver actividade de mérito reconhecido na área das doenças cardiovasculares;
    § ÚNICO – São considerados Sócios Fundadores os que promoveram a criação da SPC, cujos nomes constam da respectiva Acta.
  • Agregados individuais
    Médico:
    Exercer actividade no campo da Cardiologia, da Cirurgia Cardiotorácica ou da Cardiologia Pediátrica, embora não preenchendo as condições consideradas indispensáveis para ser Sócio Efectivo.
    Não médico:
    Exercer uma actividade profissional ou científica que tenha afinidades com a Cardiologia.
  • Agregados colectivos
    Pessoas colectivas interessadas nos objectivos da SPC definidos no Artigo 3º dos estatutos.
  • Honorários
    Ter prestado serviços relevantes à SPC;
    Ter contribuído para o progresso no campo da Cardiologia, qualquer que seja a sua nacionalidade.
  • Correspondentes
    Personalidade nacional ou estrangeira não residente em Portugal, com obra científica de averiguado mérito, no campo da Cardiologia, da Cirurgia Cardiotorácica ou da Cardiologia Pediátrica.

Direitos dos sócios

  • Sócios efectivos e agregados individuais
    Participar na discussão de todos os assuntos tratados nas Sessões Científicas e nas Assembleias Gerais;
    Receber um exemplar das publicações distribuídas gratuitamente pela Sociedade;
    Ter acesso a todos os documentos da Sociedade;
    Concorrer aos prémios, bolsas e subsídios da SPC, nos termos dos respectivos regulamentos;
    Intervir por voto nas Assembleia Gerais;
    Ser eleito para os Corpos Sociais ou como coordenadores de Grupos de Estudo;
    § ÚNICO – As alíneas c), e) e f) deste artigo, só se aplicam aos Sócios Efectivos.
  • Sócios agregados colectivos
    Consideram-se duas categorias de sócios agregados colectivos:
    Sociedades Científicas com objectivos afins aos da SPC;
    § ÚNICO - Os protocolos de relacionamento ou de afiliação entre a SPC e as Sociedades Científicas deverão ser aprovados em Assembleia Geral da SPC;
    Entidades Comerciais ou Industriais, principalmente na área da Indústria Farmacêutica ou de Equipamentos Médicos, que tenham demonstrado interesse em promover o desenvolvimento da Cardiologia;
    §1º - A sua admissão rege-se pelo Regulamento da Admissão de Sócios;
    §2º - Cada Entidade terá de pagar uma jóia a determinar em Assembleia Geral da SPC e uma quota anual cujo quantitativo deverá ser determinado pela Direcção da SPC.

Deveres dos sócios

  • Cumprir integralmente os Estatutos da SPC;
  • Aceitar os cargos ou as funções específicas para que tenham sido eleitos ou nomeados;
  • Pagar a jóia e a quota estabelecidas em Assembleia Geral. A quota anual deverá ser paga de uma só vez durante o primeiro trimestre do ano a que respeita;
  • Acatar as decisões da Assembleia Geral e da Direcção;
  • §ÚNICO – São dispensados do pagamento de quota os Sócios Fundadores, os Sócios Honorários, os Presidentes Honorários, os Sócios Correspondentes, os Sócios Efectivos ou Agregados retirados de toda a sua actividade profissional que tenham solicitado por escrito esta dispensa, e os Sócios Efectivos que tenham remido vitaliciamente a sua quota.

Suspensão e exclusão dos sócios

  • A – Suspensão:
    Ao fim de seis meses de atraso no pagamento de quotas, e depois de devidamente notificado, o Sócio perderá todos os seus direitos;
    Passados mais três meses, e após segundo aviso sem resposta satisfatória, o Sócio será considerado suspenso. Qualquer membro assim suspenso não poderá ser readmitido enquanto não pagar as quotas em atraso.
  • B – Exclusão:
    Será excluído da SPC qualquer Sócio que não pague as quotas durante dois anos consecutivos;
    Será excluído da SPC qualquer Sócio que contribua para o seu desprestígio ou a prejudique material ou moralmente. Esta decisão terá de ser tomada em Assembleia Geral por votação secreta e com maioria de dois terços dos votos expressos;
    § ÚNICO - Aos Sócios que não cumpram o previsto no articulado do Artigo 9º, poderá ser aplicada pena de suspensão ou exclusão. A pena de exclusão deverá ser tomada em Assembleia Geral por votação secreta e com maioria de dois terços dos votos expressos.

Regulamento de admissão de sócios

  • Os interessados em ser sócios efectivos, agregados individuais ou agregados colectivos preencherão uma proposta segundo o modelo oficial da Sociedade Portuguesa de Cardiologia, subscrita por dois sócios efectivos no pleno uso dos direitos, devendo fazê-la acompanhar por uma informação curricular;
  • As propostas para sócios honorários ou correspondentes deverão ser acompanhadas de uma memória justificativa;
  • As propostas para as diferentes categorias de sócios serão informadas pelo Vice-Presidente de cada zona ou pelo Secretário-Adjunto. Da lista provisória de sócios a admitir será dado conhecimento público através do Boletim, a todos os sócios efectivos da Sociedade Portuguesa de Cardiologia, que poderão, se o desejarem, pronunciar-se sobre a sua admissibilidade. Este parecer terá carácter consultivo;
  • O Secretário-Geral elaborará uma lista definitiva dos sócios a admitir, que será submetida para aprovação da Direcção da Sociedade Portuguesa de Cardiologia;
  • Da decisão da Direcção será dado conhecimento por escrito aos candidatos.

Candidatura a sócio SPC

Candidatura a sócio APAPE

Candidatura a sócio APIC