RESUMO SUBMETIDO AO XXXVI CPC

ID resumo
3753
Título: Depressão e Doença cardiovascular. Qual o “link”?
Tema: 6. Prevenção / Reabilitação / Desporto / Enfermagem > 6.4 Epidemiologia e Políticas de Saúde > 6.4.08 Risco cardiovascular
Palavras-chave: Biomarcadores; Depressão; Qualidade de vida


  • Autores:
    - MEIRELES-BRANDÃO (Outra Inst.: Faculdade de Medicina da Universidade do Porto - FMUP e STARMEDICA.Clinica / Outro Serv.: Metabolismo e Doenças Cardiovasculares - Director Clínico)
    - F. ROCHA GONÇALVES (Outra Inst.: Faculdade de Medicina do Porto da Universidade do Porto - FMUP - Professor Catedrático / Outro Serv.: Departamento de Medicina - Director)
    - RUI COELHO (Outra Inst.: Faculdade de Medicina da Universidade do Porto - FMUP - Professor Catedrático / Outro Serv.: Departamento de Neurociências e Saúde Mental - Director)
    - LUCIA R. MEIRELES BRANDÃO (Outra Inst.: STARMEDICA.Clinica / Outro Serv.: Metabolismo e Doenças cardiovasculares - Médica Interna Complementar 3º ano (colaboradora))
  • Texto do resumo:


    Desde os anos sessenta do século XX que na sequencia de estudos longitudinais, se conhece a associação  de doença coronária (DC), stress, perturbações da  personalidade e doenças psiquiátricas. Assim, propusemo-nos avaliar em 189 doentes (132 mulheres e 57 homens) portadores de Dislipidemia e Síndrome Depressivo (SD) com diagnóstico Psiquiátrico há menos 3 anos.

    132 mulheres (69,84%) com idades entre 20 e 55 anos (média de 37,5), 57 homens (30,16%)  idades entre 25 e 55 anos (media 40 anos). Todos os doentes tinham uma exaustiva  avaliação clinica,  antropométrica,  bioquímica e, vascular com realização de ecodopler carotídeo e vertebral (HP Sonos 1000 com sonda linear de 7.5 mHz). Iniciaram terapêutica com inibidores da recaptação da serotonina (SRI) e estatinas associados a modificação do estilo de vida (exercício físico regular, alimentação  saudável, restrição álcool e tabaco) mantendo as orientações Psiquiátricas.

    67 mulheres dos 20 a 30 anos (50,75%) encontrada importante correlação com o quadro clinico e hipotensão, que não foi encontrada nos restantes grupos etários nem nos homens. 

    Decorridos 24 meses foi proposta a todos estes doentes a realização de uma autoavaliação sobre o seu desempenho, estado da sua saúde  e qualidade de vida através da aplicação dos inquéritos 15D e SF-36.

    Inicialmente os valores médios de colesterol no grupo das mulheres era de HDLc-38 (valores entre  24 e 52 mg/dl), a média de LDLc-135.5 (valores entre 89 e 178 mg/dl). Os homens apresentavam  valores médios de  HDLc-33 (valores entre 20 e 46 mg/dl) e média de LDLc-163 (valores entre 124 e 202 mg/dl).

    75 doentes (39,68%) com idades entre os 35 e os 55 anos apresentavam valores da intima média (IMT) entre  1.4 e 3.2 mm com a média de  2,3 mm sem diferenças entre sexos.

    Excelente resposta ao tratamento após 24 meses, 98% de adesão à terapêutica e alterações no estilo de vida, excepto em 2 homens (3.5%) ignoraram toda e qualquer recomendação. Na avaliação  bioquímica subsequente o grupo das mulheres  apresentava valores médios de HDLc-53 mg/dl (entre 42-64 mg/dl) e LDLc-93 mg/dl (72-114 mg/dl) enquanto nos homens média de HDLc-44 mg/dl (36-52 mg/dl) e LDLc--90,5 (60-121 mg/dl).

    Nos 75 doentes com idades de 35 e 55 anos  verificou-se uma diminuição da IMT – 1.75 mm (entre 1,1-2,4 mm). O grupo das mulheres com idades entre os 20 e os 30 anos manteve um perfil de hipotensão.

    O SD será preditivo de doença cardiovascular, considerando os resultados obtidos assim como a evolução metabólica das repercussões fisiopatológicas encontradas particularmente a nível da IMT no grupo etário entre os 35 e 55 anos de idade com disfunção endotelial condicionando aumento da resistência vascular periférica.

    Considerando estes resultados, a compensação metabólica com introdução  de estatinas e SRI adequados deve ser precoce no sentido de condicionar uma evolução favorável do quadro clínico. 


  • Imagem anexa:
    (sem imagem anexa)

  • Tabela anexa:
    (sem tabela anexa)